Por que investir em uma previdência complementar? - RUMOS

A cada dia que passa fica mais evidente que o investimento em previdência deve fazer parte do planejamento financeiro de cada um de nós, independente da idade. Ele é garantia de um futuro mais seguro e tranquilo e a tomada de decisão é hoje tema de atenção para a maior parte dos brasileiros.

Os resultados de uma pesquisa da Onze, fintech de soluções para previdência, indicam que a preocupação com a aposentadoria é o principal motivo para que 72% dos brasileiros contratem um plano de previdência privada. Segundo matéria publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, o estudo foi realizado em 2020 em nível nacional, com 5,2 mil pessoas de diferentes faixas de renda e escolaridade.

Para começar a pensar no assunto, é importante entender a diferença entre previdência social e previdência privada. A previdência social é gerenciada pelo INSS e obrigatória para todos os trabalhadores nos regimes da CLT, empregadores, autônomos e trabalhadores rurais. Já a privada é contratada a partir de instituições como bancos e empresas especializadas, como a RUMOS. 

No momento de tomar uma decisão de investimento, é essencial levar em consideração os seus rendimentos. Aqueles que possuem renda mensal acima de R$ 6.433,57, valor-teto de pagamento da previdência social, devem priorizar a contratação para manter o mesmo padrão de vida após a aposentadoria.

Elencamos os seis principais benefícios em investir em um plano de previdência complementar.

. Não há valor-teto: isso significa que quanto maior o seu investimento, maior será o retorno no futuro, garantindo uma vida mais segura e confortável;

. Pode ser usada para grandes objetivos: além de uma garantia para a aposentadoria, o valor investido na previdência complementar poderá ser usado para comprar um imóvel, pagar a faculdade dos filhos ou quitar financiamentos;

. Trabalhador recebe mais do que investiu: como a quantia depositada na previdência privada rende ao longo dos anos, o valor final será superior a aquele investido durante o período total;

. Sucessão facilitada: muitos planos de previdência complementar oferecem caminhos rápidos e com pouca burocracia para a transferência do patrimônio para os herdeiros do contratante, além de alguns ainda cobrirem a pensão por morte;

. Redução de IR: Em alguns casos, é possível abater valores do Imposto de Renda da previdência em até 12% da renda bruta anual tributável do titular. Para quem já é isento não faz diferença;

. Soma de rendimentos: um dos grandes benefícios é que o trabalhador poderá somar os fundos do INSS com a previdência complementar, garantindo muito mais estabilidade financeira para o futuro.

A pesquisa da fintech Onze também revelou que 36% dos entrevistados não sabem em qual fundo o seu plano de previdência investe. A RUMOS informa com transparência quais são as aplicações da entidade para oferecer os melhores resultados. Clique aqui para saber mais.

Fontes: https://bit.ly/32OzjFp / https://bit.ly/3xu9hoV

x