Previdência aberta e fechada: saiba as diferenças - RUMOS

Você já decidiu que irá investir no seu futuro. Mas, você sabe quais tipos de previdência complementar existem? Resumindo, são dois: a Previdência Aberta (ou “Fundos Abertos”) e Previdência Fechada (ou “Fundos Fechados”).

Os Fundos Abertos são oferecidos por bancos e seguradoras e qualquer um pode aderir. Existe o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres). Neles, você realiza depósitos periódicos para receber uma renda na aposentadoria, mas há algumas diferenças:

PGBL: Você pode deduzir até 12% da sua renda tributável no ano, na declaração completa de ajuste anual do imposto de renda. A tributação será realizada de acordo com a opção do investidor pela forma regressiva ou progressiva do imposto de renda e aplicada sobre o valor do resgate ou do benefício pago.

VGBL: Não é possível deduzir as contribuições na declaração de ajuste anual do imposto de renda. A tributação será realizada de acordo com a opção do investidor pela forma regressiva ou progressiva do imposto de renda e será aplicada somente sobre o ganho das aplicações financeiras.

Outro fator importante é sobre a cobrança de despesas administrativas para ambas as modalidades, que muitas vezes chega a ser superior a 3% ao ano, o que pode comprometer o ganho que você teria com o rendimento do plano.

Os Fundos Fechados, como a RUMOS, possuem planos de previdência que são oferecidos pelas empresas aos seus funcionários. Geralmente, os funcionários e a empresa fazem contribuições mensais para a formação da poupança para a aposentadoria do funcionário. A contribuição da empresa é uma das grandes vantagens de planos desse tipo.

Os incentivos ¬ fiscais existentes no PGBL também são aplicados nos fundos fechados, e as taxas cobradas com a administração do plano são mais competitivas do que nos fundos abertos devido ao volume de participantes e também às negociações obtidas pela Entidade.

x